Updated : mar 17, 2020 in Cidadania

Quais vacinas os bebês devem tomar? De recém-nascidos a dois anos

As vacinas, os bebês são necessárias para proteger a sua saúde e evitar que contraiam diferentes doenças no futuro. Às vezes, porém, a vacinação origina efeitos colaterais, que podem ser evitados ou, pelo menos, tratados. No calendário de vacinação 2020 os bebês devem iniciar as doses quase recém-nascidos – a partir dos 6 meses, com a tríplice viral.

O tema das vacinas nos bebês sempre foi motivo de discussão. Embora a maioria dos especialistas recomenda o seu uso, existem grupos sociais que as rejeitam. Conhecer os efeitos secundários das vacinas é uma informação importante para que os pais possam tomar a decisão sobre a sua colocação.

As vacinas foram concebidas para evitar doenças. A polêmica em torno a elas são gerado porque a maioria delas são criadas a partir do vírus que transmite a doença. No entanto, seu uso tem demonstrado a diminuição em muitas doenças que há muito tempo eram mortais.

Desde recém-nascidos, é importante proteger a saúde das crianças. As vacinas desempenham essa função em doenças que podem ser fatais, uma vez que impedem algum contágio em idades precoces. Por isso, é importante o controle de vacinas em cada visita ao pediatra.

Quais vacinas os bebês devem tomar?

Uma parte importante da consulta médica dos pediatras é validar que o bebê tenha por dia suas vacinas. Seu posicionamento vai de acordo com a idade e o desenvolvimento do bebê. Em alguns casos, há vacinas que precisam de mais de uma dose como parte do reforço.

As vacinas básicas com as quais deve contar todo bebê impedem sete doenças de crianças, que são:

  • Difteria
  • Tétano
  • Tosferina
  • Hepatite B
  • Poliomielite
  • Hib e doença pneumocócica

Estas últimas são causadores de meningite bacteriana e viral, respectivamente. Contudo, quem quiser pode usar o site do Ministério da Saúde para acompanhar o calendário de vacinação e a caderneta de vacinação para crianças. 

Desde o segundo mês de vida, são fornecidos com todas as vacinas; os reforços são colocados a cada dois ou quatro meses, dependendo das indicações. No caso das vacinas DTap (Difteria /Tetano/Tosferina) e Poliomielite, fortalecem até os quatro ou seis anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *